Motocicletas e desrespeito à natureza.

Mountain bikers e todos aqueles que gostam de estar nas trilhas buscando um contato mais intenso com a natureza, já devem ter tido o desprazer de encontrar grupos de motociclistas nas trilhas.

O barulho e a fumaça espantam a fauna, a velocidade e a força do motor transmitida no terreno através dos pneus (especialmente em terrenos molhados) causam erosão, deslizamentos e agridem a mata, a prepotência dos motoqueiros desrespeita os outros usuários das trilhas que estão a pé ou em bicicleta. Os praticantes de motociclismo em trilhas dificilmente têm consciência da agressão que causam ao meio ambiente e às pessoas.

Neste domingo, 2 de dezembro, voltei a Bombinhas de mountain bike junto com meu amigo Leite (super biker reporter!) para fazer parte da trilha das 7 praias, que corre naquele litoral até a cidade de Tijucas. Praias virgens de valor paisagístico e de biodiversidade inestimável.

F. Leite, novembro 2007 Foto: F. Leite, novembro, 2007

A trilha é percorrida por pescadores locais, turistas, mountain bikers e infelizmente, motoqueiros. Um grupo de aproximadamente 15 ou 20 motos em velocidade muito acima do que o bom senso recomenda em trilhas passou por nós indiferente aos nossos sinais de diminuir a velocidade (apenas tinhamos passados por uma família com crianças). Torcemos para que a família tenha conseguido se abrigar a tempo, como nós fizemos! O sentimento de ter sido agredido foi inevitável e o desrespeito a tudo e a todos foi patente!

Ao sair da trilha encontramos pescadores indignados com a arruaça feita pelos motoqueiros na areia da praia, onde crianças brincavam.

Diferente dos países como Estados Unidos, Austrália e outros desenvolvidos onde o motociclismo em trilhas (bem como o uso esportivo de jeeps) é praticado em áreas fechadas ou em áreas de deserto onde os praticantes podem desenvolver suas habilidades de pilotagem isolados e sem agredir pessoas ou o meio ambiente, aqui na nossa selva tupiniquim, terra de ninguém por excelência (até o momento da grilagem!) e com canais quase inexistentes para prática da cidadania, os motoqueiros se acham no direito de invadir áreas preservação de uso público poluindo a natureza e criando um ambiente perigoso para qualquer um que não esteja sobre uma motocicleta.

Na mesma trilha das 7 praias temos notícias de motoqueiros lavando a moto na bica de água natural que corre no canto da praia Triste, deixando um rastro de graxa, óleo e querozene na areia. Também jipeiros com pás alterando completamente o terreno natural apenas para passar com seu veículo, causando erosões enormes são vistos frequentemente, principalmente no verão.

Até quando podemos suportar essas agressões? Será que a sociedade não consegue se organizar para regulamentar o uso das trilhas? Sabemos que o grupo que trabalha a “Agenda 21” junto a prefeitura do município de Bombinhas tem feito um bom trabalho e tem um boa influência política ali e devem ser sensibilizados do problema. Será que não é o caso de implantarem logo uma Área de Proteção Ambiental (APA) naquele litoral ainda preservado? Será que ONGs ambientalistas e Associações de Ciclistas não podem se unir nessa causa?

10 Respostas to “Motocicletas e desrespeito à natureza.”

  1. Pois é sergio.
    Ficou legal a matéria.
    Ainda ñ m conformo com aquela noticia q o Marcelo disse q os motoqueiros chinélos tavam lavando a moto com querosene derramando todo na bica de água.
    Ah seu fosse policia ambiental, perdia o emprego + daria uma surra nesses caras.
    Depois eles mesmos reclamam que as trilhas estão sujas, mal cuidadas, ja escutei isso de vários.
    + quem planta colhe, o deles ta guardado.
    Em breve vai ter a associação dos Ciclistas do litoral, aí vamos pegar pessado com ajuda dos ambientalistas (Marcelão e CIA) contra esses abusos á natureza.
    Abraços amigo.

  2. Olá, Sérgio. Aqui no Paraná acontece a mesma coisa. Temos excelentes trilhas para o MTB mas infelizmente todas estão tão estragadas pelas motos que até com uma MTB fica difícil percorre-las. Em alguns locais as motos já foram proibidas, mas em outros continuam fazendo danos. E quando não são elas são os jipeiros.

    Gostei do seu blog, parabéns.

  3. Nossa eu gostei muito de ter lido …

    Realmente é deprimente como as pessoas agridem a natureza
    sem nem almenos se emportarem com o amanha.
    Comcordo com vc …essas Ongs ambientais deveriam se organizar com associações ciclistas e enfim fazerem algo,antes que o vandalismo tome conta do lugar pertubando não só as pessoas como agredindo o meio ambiente.É uma questão de cidadania de organização,e de preocupção com o futuro,por que temos preservar hoje para que nossos filhos amanha possam ver tbm como é lindo nosso Brasil.

    Parabéns por sua iniciativa ,gostei muito!

    BjO§…

  4. Bom todo e qualquer movimento em prol da preservação do meio ambiente é muito válido e louvável, porém sair agredindo pessoas e grupos de pessoas somente por serem adeptos de outro esporte que não seja o seu soa de forma muito arrogante tanto quanto o comportamento deste grupo de motoqueiros que vc sitou e soa de forma que vcs estão pensando somente em vcs curtirem a nossa bela natureza.
    Talvez este grupo também seja de outro lugar que não seja da nossa cidade.
    Porém quero informar a todos que aqui em Bombinhas nos organizamos em um grupo de trilheiros, para que possamos curtir a natureza daqui e também preserva-la com iniciativas que vão desde a manutenção das trilhas e também a coleta do lixo deixado não sei por quem no caminho, o qual na última coleta foram retirados mais de 70 sacos de 100 lt cheios de lixo das trilhas.
    Agora pessoal lavar motos em bica de agua, com querozene, em praia deserta desconheço (e moto não é movida a querozene).
    Vamos nos ajudar, e se criticar, critique de forma constrrutiva, não expondo sua revolta…..

    Um abraço a todos.

  5. sergiomoraes Says:

    Evander, sinto muito se vc tomou minhas críticas de forma negativa. Porém, ainda que louvável o fato de alguns grupo de motociclistas trabalharem em prol da preservação e limpeza das trilhas, é inegável o impacto de esportes de motor na natureza. Me revolta sim, ver a natureza fragil de um bioma como a Mata Atlântica ser agredida de maneira egoista e exponho a revolta na espereança que alguma atitude seja tomada de modo a regulamentar e restringir o uso da natureza de forma irresponsável.
    Obrigado pela sua manifestação.
    Sergio Moraes

  6. nao devem poluir a natureza muito menos desrepeitarena

  7. João Paulo Says:

    Tudo bem rapaziada, existe uma falta respeito de alguns motociclistas ou “baderneiros sobre motos” que atrapalham o meio ambiente e poem em perigo moradores locais e trilheiros desavisados. Só não podemos generalisar…ja fiz muita trilha de moto e todos com trilhei areas maravilhosas tinham completa noção de bom senso quanto a velocidade e colocação quanto ao roteiro da trilha, o fato é que : A NATUREZA É PARA TODOS ! logico que no caso de motocrossistas e afins devem ter conhecimento e responsabilidade sempre, mas não queiramos nos apropriar de algo que é pra todos !!!

  8. Olá Sérgio, apesar de fazer trilha de moto vou concordar em partes com o que foi dito, pois não se deve generalizar nem todo mundo pensa no próximo e esse é o grande problema. Bom, eu ando com um pessoal que procura respeitar as áreas urbanas, ruas e a velocidade de circulação, não usamos estradas, apenas trilhas com obstáculos como buracos, pedras, morros, decidas, valas, etc….e tudo com muito barro, em áreas comuns rodamos com velocidade baiximas, sempre equipados com capacete e outros protetores. Em épocas festivas como Natal, Páscoa e dias das crianças procuramos visitar as comunidades ribeirinhas e as que tem menos acesso a sociedade para levarmos além de brinquedos, cestas básicas, o que significa muito para essas famílias.
    Concordo com relação ao desrespeito pois mesmo nós que estamos no meio descordamos de algumas práticas, motos e jipes são pra ficar sujos mesmo, naõ precisa lavar, se for lavar lave num posto de gasolina. Onde andamos (Campo Magro-PR) sempre é no meio do mato, não há circulação de pessoas, carros, motos, bikes, jipes ou gaiolas, existem as trilhas específicas, e a comunidade da região busca algum sustento com nossa presença, pois compramos queijos, mel, frutas, pinhão, verduras, pães, além do consumo em bares, lanchonetes, quiosques da região, o que garante o sustento de muitos desses moradores que vivem nas regiões mais longinquas. E isso ocorre somente nos finais de semana, a agressão ao meio ambiente provém somente da fumaça das motos, e ainda assim a mata com certeza se reestabelece em algums minutos, erosões no solo é a primeira vez que vejo alguem falar, quanto ao lixo, não levamos bebidas e comidas para dentro da mata, usamos um reservatório de agua ajustado nas costas. Queremos desfrutar da natureza assim como vocês, sem agredi-la e sem desrespeitar moradores e transeuntes dessas regiões, para que sempre possamos voltar e ser bem recebidos.
    Um abraço.

    Joelson

    • sergiomoraes Says:

      Obrigado pela visita e pelo comentário Joelson. Concordo que existam grupos mais conscientes como parece ser o seu, porém, infelizmente é uma minoria pelo menos aqui em SC. A questão da erosão do solo também causa degradação séria. Não somente por motos, mas também devido ao trânsito de bikes e de caminhadores. Com a moto, a erosão é maior devido a força do motor que cava sulcos fundos que acabam tendo consequencias no meio ambiente.
      Abraços,
      Sergio

  9. joao aurélio Says:

    ola, sergio não podemos generalizar assim os trilheiros, tem alguns espirito de porco sim mas na maioria são concientes do que estão fazendo, no ano de 2008 nos trilheiros aqui de cuiabá MT, demos uma grande ajuda ao corpo de bombeiros pos a chapada dos guimarães onde nos fazemos nossas trilhas estava queimando, se não fose o nosso conhecimento para poder levar os militares até as areas que estavão queimando não conceguiriam apagar os focos e o desastre seria maior, quando vamos fazer nossas trilhas sempre levamos conosco sacos de lixo para recolher o lixo dos espirito de porco que deixam pra tras, então generalizar não pode irmão, ate mais um abraço de um amante da natureza como vc.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: